terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

A Vela


Olha aquela vela.
Olha!
Consumindo-se em ardor,
findando gradualmente numa tortura que não parece ter fim.
Sombras e chamas dançam num ritmo inebriante, oscilando na investida do vento que quer apagar-lhe,
trazendo-lhe a dúvida se cede,
mas a dúvida dissipa-se...
Quer mais é deixar-se inflamar toda,
mesmo sabendo-se terminar em cera quente.
Olha aquela vela.
Olha!
Percebeu?
Aquela vela também sou eu.

Postagem de 20/03/2012

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Uma metáfora com olhos grandes - CleiRosas

By: CleiRosas

Decisão

 Pelo sim ou pelo não uma hora é preciso decidir-se. É um bem ou um mal necessário.
 Decisão é crescimento, livramento, unguento pra alma... ou o contrário.Te faz sorrir,te faz chorar... Traz leveza, traz pesar... Tudo faz parte da posição ao qual tomou-se um lado.Tudo gera consequências.
 Os ''meio-termos" atraem sofrimentos que poderiam ser evitados.Insistir na situação por medo da mudança só faz prolongar o processo.
 Ao decidir-se ganha-se e perde-se, e assim a vida segue, pois ninguém obtém pra si o equilíbrio total dos dois lados da moeda.


Imagem: Web
Postagem de arquivos pessoais.Data: 12/10/2012

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Numa fração de segundos

 Queria poder ter a velocidade da escrita proporcional aos milésimos de segundos dos meus pensamentos.Poder retratar em escrita tudo o que se passa na minha mente, seja coerente ou não, importante ou supérfluo.Seria interessante o quadro a quadro de cada um transmitidos simultaneamente, talvez assim, com mais tempo em tentar compreendê-los mais tarde, conseguisse respostas para algumas perguntas e até perguntas para algumas respostas; Conseguisse compreensão e segurança, muito menos complexos e mais confiança.
 Já tive a ideia de antes de repassar para o papel fazê-lo de forma oral, mas cheguei a conclusão de que daria no mesmo, pois sou como a maioria em pensar antes de dar algum parecer, resposta ( e como já perdi oportunidades de dar algumas). Sou daquelas que após todo o ocorrido pensa na melhor resposta que poderia ter dado e fico frustrada por ser tão limitada a esse ponto sempre. Ah! E é nessa hora que me odeio e me acho a mais trouxa das trouxas.Então, se sou assim falando imagina na escrita?!
 Só queria que a minha escrita e pensamento agissem de uma forma mais fácil, trabalhassem mais em equipe, que a pro atividade fosse igual e em conjunto, mas já vi não ser possível e só fico a me lamentar por tantos pensamentos interessantes perderem-se no meio de tudo que consigo pensar numa fração de segundos.
Imagem: Web

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Black Mirror




 Série criada por Charlie Brooker, de gênero Drama psicológico e Sátira.Teve sua primeira transmissão no Channel 4 nos Estados unidos, em meados de 4 de Dezembro de 2011e hoje exibida pela Netflix.
 A série aborda temas sombrios e ás vezes satíricos, mas em relação a conteúdo e estrutura cada episódio possui um elenco diferente, um set diferente e uma realidade diferente, todos ambientados num futuro onde a tecnologia é completamente integrada a sociedade, mas que em várias dessas histórias nos traz e faz refletir sobre a nossa realidade atual em vários aspectos.

“Se a tecnologia é uma droga – e parece mesmo ser uma – então quais são precisamente os efeitos colaterais? Este espaço – entre apreciação e desconforto – é onde Black Mirror, minha nova série de TV, está localizada. O ‘espelho negro’ do título é um que você encontrará em todas as paredes, em todas as mesas, na palma de toda mão: a fria e brilhante tela de uma TV, um monitor, um smartphone.” – Charlie Brooker sobre sua série Black Mirror.

 Black Mirror retrata como aos poucos estamos cada dia mais nos tornando escravos da tecnologia e que essa realidade não está muito longe de acontecer.
 Comecei a assistir a pouco tempo, mas confesso que cada história surpreende sempre e me faz repensar a capacidade do ser humano para certas coisas, como é estranho e por vezes repugnante.Black Mirror explora a parte mais negra da raça humana, é um soco no estômago.
  Vale a pena conferir!


terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

[ Resenha ] Por lugares Incríveis - Jennifer Niven



Livro: Por lugares incríveis
Autora: Jennifer Niven
Ano de publicação: 2015
Páginas: 336
Editora: Seguinte
Gênero literário: Ya/Drama, Literatura Estrangeira
Nota: 5/5

Sinopse:
Violet Markey tinha uma vida perfeita, mas todos os seus planos deixam de fazer sentido quando ela e a irmã sofrem um acidente de carro e apenas Violet sobrevive. Sentindo-se culpada pelo que aconteceu, Violet se afasta de todos e tenta descobrir como seguir em frente. Theodore Finch é o esquisito da escola, perseguido pelos valentões e obrigado a lidar com longos períodos de depressão, o pai violento e a apatia do resto da família.
Enquanto Violet conta os dias para o fim das aulas, quando poderá ir embora da cidadezinha onde mora, Finch pesquisa diferentes métodos de suicídio e imagina se conseguiria levar algum deles adiante. Em uma dessas tentativas, ele vai parar no alto da torre da escola e, para sua surpresa, encontra Violet, também prestes a pular. Um ajuda o outro a sair dali, e essa dupla improvável se une para fazer um trabalho de geografia: visitar os lugares incríveis do estado onde moram. Nessas andanças, Finch encontra em Violet alguém com quem finalmente pode ser ele mesmo, e a garota para de contar os dias e passa a vivê-los.

 Resenha e impressões pessoais:

 A leitura foi realizada pelo Clube do Livro no Whatsapp organizado pela Khetlyn Provenzi do ig @orelhasdelivros.
 Livro lido no Kindle, mas pretendo comprá-lo físico em breve.
 O livro me encantou e emocionou.
 Theodore Finch é um dos personagens principais junto com a Violet Maekey. É um garoto depressivo, embora o levem sempre como louco ou meio problemático e conhecido como " Aberração" no colégio, mas ele quer apenas se encaixar em algo, achar um sentido pra sua vida e o vazio que leva dentro de si.Tem um coração lindo. É obcecado pelo tema" morte".

"Aprendi que existem coisas boas no mundo se você procurar por elas. Aprendi que nem todo mundo é uma decepção, incluindo eu mesmo."


  Apesar de tanta dor, procurava mostrar a Violet que ela deveria seguir em frente, que ela não teve culpa pela morte da irmã e não deveria continuar se martirizando.

"Conheço a vida bem o suficiente para saber que não podemos acreditar que as coisas vão ser sempre iguais, não importa o quanto a gente queira. Não podemos impedir que as pessoas morram. Não podemos impedi-las de ir embora. Não podemos impedir nós mesmos de ir embora."

"Agora tudo o que vejo é uma garota morrendo de medo de viver. [...] Você precisa retomar as rédeas. Ou vai ficar em cima do parapeito que construiu para si mesma para sempre."


 Finch gostava de pensar e viver como se tivesse apenas mais dois dias de vida e queria que Violet vivesse sem pensar no amanhã, percebesse isso e que fizesse tudo o que tem vontade sem se importar com os outros, porque a vida é muito curta pra desperdiçar.

 Violet, assim como eu, ama escrever e foi uma das coisas na personagem que me cativaram.

 "Amo o meu quarto. O mundo é melhor aqui do que lá fora., porque aqui sou o que eu quiser. Sou uma autora brilhante. Posso escrever cinquenta páginas por dia e nunca fico sem palavras." 

 Violet era da turminha dos populares da escola, até pouco antes da morte de sua irmã. Mas não contava em conhecer Finch e que dali em diante sua vida e o modo de enxergar as coisas mudariam.
 Outro fato que chama a atenção é sempre abordar assuntos como depressão, suicídio, violência doméstica, bullyng.
 Me impressionou a maneira com a qual fora abordados temas cotidianos e dos quais a maioria não gosta de falar, se expor ou não procurar ajuda porque é vergonhoso, por ter medo, por achar que as pessoas não entenderiam.
 Em vários momentos do livro são deixados lições de que não podemos afundar na tristeza apesar dos pesares e perdas, que há uma saída e que mesmo com aquela dor, saudade, depressão sempre haverá dias melhores.
 Ah!Não deixe de ler as notas da autora no fim do livro e se emocionar mais ainda.

sábado, 11 de fevereiro de 2017

Minha vida de bookaholic e de escritora amadora


Desde que me entendo por gente sou louca pelos livros.
Uns dos meus grandes incentivadores foram meus pais (Francisca e José) e em seguida uma prima-tia Auricélia que possuía um pequeno acervo de romances de banca de revistas que me apaixonei de cara .Lembro como se fosse ontem, olhando para a sua estante de livros bem conservados, em um dos quartos da casa, sem saber por onde começar (risos) e que por várias reuniões familiares, seja de Natal ou Reveillon, me trancava por lá e passava horas e horas habitando outros mundos sem me dar conta da vida real lá fora.
Recordo ás várias vezes, após o colégio, minhas idas á Biblioteca Pública da cidade em que morava, Salgueiro-PE, onde passava minhas tardes lendo Paulo Coelho, Machado de Assis, Agatha Christie, Cecília Meireles, Clarice Lispector, Monteiro Lobato entre outros... E na maioria das vezes só saia de lá quando a Biblioteca fechava ás 18:00.Por muito tempo a minha diversão eram eles, os livros, em uma cidade de interior em que se é muito pacata e sem opções de diversão e que naquele tempo não era acessível computador e muito menos internet.
  A Tatiane foi uma das minhas amigas do antigo primário que me marcou muito, pois possuíamos o mesmo amor pela leitura.Discutíamos sobre os personagens, trocávamos livros, falávamos dos personagens como se fizéssemos parte da vida deles, riamos e chorávamos juntas em cada nova história.Sinto falta dela até hoje e uma pena que o destino ou o Tempo nos separou e cada um seguiu a sua vida.
E por que não falar de Jamy Dantas que foi e é até hoje uma inspiração pra mim como pessoa e escritora? Ela que meu deu o pontapé para criar meu primeiro blog, que de alguma forma me mostrou esse mundo maravilhoso das letras, me incentivou a publicar minhas bobagens, desabafos... E não, esse não é meu primeiro blog, é o segundo oficialmente falando, porque os outros levo como ensaios e não me arrependo, só os deixei de lado pois fizeram e fazem parte de fases da minha vida. 
 Bom, cá estou eu novamente para publicar, escrever minhas bobagens, pensamentos, desabafos, resenhas, o que gosto e que amo muito, mas que apesar de tudo é com amor sempre.E quem sabem mais para a frente publicar minhas ideias de livros, colocar no papel os meus guardados a muito tempo a sete chaves.
Obrigada a todos que de forma direta e indiretamente contribuíram pra tudo isso. (não vou citar nomes, pois acabarei esquecendo alguém). 
Bora sonhar mais!