quinta-feira, 30 de março de 2017

Andrea Marques






                                                                    Andrea Marques


Como tudo começou…
Escrever o meu perfil é uma tarefa árdua. Ainda mais quando eu prefiro é falar dos meus personagens… O Amor de Cordel sempre esteve na minha vida. Lembro que, um ano antes de começar a escrever, eu pensei em um dia remoto sentar e colocar no papel minhas ideias sobre a vida, as coisas que eu gostava, meus relacionamentos e até a minha experiência como terapeuta ocupacional. Até que esse dia chegou. Eu havia acompanhado meu marido numa viagem a trabalho que ele fez para São Carlos, por coincidência, a mesma cidade onde cursei a faculdade, e lá comecei a relembrar meus tempos de estudante, as minhas amizades, meus sonhos e também meus amores. Um misto de nostalgia e empolgação tomou conta de mim e, a partir daí, surgiu a ideia da Carol. Quando voltei para casa, desfiz as malas, me sentei em frente ao computador e comecei a escrever. Foi libertador. Através da escrita, eu pude exteriorizar meus anseios e conflitos, expressar minhas ideias e até vivenciar meus sonhos. Criei meus livros no meu dia a dia. Assim, quando eu dirigia a caminho do trabalho ou ficava em casa cuidando de alguma tarefa doméstica, eu imaginava a vida dos personagens, como eles se sentiriam em determinadas situações e como seriam suas reações perante os problemas. Foi um processo longo e contínuo. Tenho de ser sincera também com vocês, leitoras, ao dizer que Amor de Cordel é uma junção de vários clichês. Estaria mentindo se respondesse que não, afinal que mulher um dia já não sonhou com um príncipe encantado? A única diferença é que algumas mulheres mais sábias abandonam essa ideia mais cedo que outras, já algumas como eu ficam sempre acreditando nas histórias loucamente impossíveis de acontecer. O Alexandre é um estereótipo de homem ideal, mas também quero deixar claro que, por mais que ele seja um sonho, a minha realidade com o meu marido é maravilhosa, rs. Vale dizer que não quero só trazer um conto de fadas para os leitores. A personagem Carol também traz um linda história de superação e teve de recomeçar a vida com outro olhar. Ops, era para eu ter falado de mim e, vejam só, falei o tempo todo da minha obra. Não posso negar que a Carol foi o meu alter ego durante muito tempo, no entanto ela era muito melhor do que eu em todos os aspectos: na aparência, nas qualidades e até mesmo nos defeitos. Só me desvencilhei da personagem quando a minha filha nasceu. Agora, Carol, pertence a você também.

Site da autora para compra do livro: www.escritorandreamarques.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário