quinta-feira, 16 de março de 2017

Gênero: sentir


 Não escrevo para agradar e nem desagradar sujeitos, predicados, adjetivos ou pronomes. 
 Escrevo na simples intenção de auto entender-me, auto filosofar, auto analisar e se fazer compreender , mesmo que de um prisma e ângulo inverso para alguns, mal interpretada quase sempre, mas cada um enxerga o que quer e convém (o que acho engraçado) , embora só quem sabe e sente o que acontece aqui dentro sou eu.
 Definir é impor limite. Não me classifico em um gênero literário específico, e se pudesse escolher seria o gênero sentir.
 Não gosto de definição. Sou o que sou e pronto. 
 Gosto de reinventar, gosto de transpor limites, gosto de renovar, mudar, se reinventar de novo.
 Rótulos também definem e sinceramente não gosto deles.
 Se escrevo, é por pura necessidade de expressar o mar calmo e  por vezes revolto dentro de mim, é uma maneira de auto conhecimento e confesso que também me assusto com a intensidade de algumas escritas, mas parar de escrever ? Jamais.

Imagem: Autoral

Nenhum comentário:

Postar um comentário